domingo, 3 de setembro de 2017

Conheça o Rede Noticiando!

 O seu mais novo canal de notícias, um espaço dedicado a noticias, denúncias, curiosidades e muita informação.


Para acessa-lo basta entrar em http://www.noticiando.net/

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Trens de cargas estão mais lentos e ferrovias perdem eficiência.

Foto: Redes Sociais
Os motivos são vários. Dentre eles, a não execução de obras consideradas fundamentais para superar conflitos com a operação no meio urbano

Se o transporte de passageiros por trilhos já é difícil no Brasil, o mesmo se pode dizer do transporte de cargas. Apesar dos esforços que as autoridades insistem estar fazendo para melhorar o atendimento ao cidadão, no quesito cargas a solução de problemas históricos parece estar distante.

Um levantamento realizado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) concluiu que o transporte de cargas por trilhos está cada vez mais demorado. A consequência econômica é imediata: quanto mais tempo para chegar aos portos, maior perda de eficiência nas operações.

Malhas saturadas, com inúmeros obstáculos em travessias em cidades, são alguns dos motivos que têm levado à queda da velocidade média na maioria das concessões de ferrovias. No levantamento da ANTT, num período de dez anos – entre 2006 e 2016 -, dez concessionárias diminuíram sua velocidade comercial, com exceção da Estrada de Ferro Vitória-Minas, operada pela Vale.

Segundo a ANTT, a velocidade na Malha Sul caiu de 18,2 para 11,8 km/h; na MRS Logística a queda foi de 17,3 para 16,1 km/h; e na Ferrovia Centro-Atlântica, de 15,8 para 12,2 km/h. Ferroeste (PR), Tereza Cristina (SC) e a malha antiga da Transnordestina também ficaram mais lentas.

Na Malha Paulista a velocidade ficou praticamente inalterada., que tem um pedido em estágio avançado de análise para a prorrogação contratual por 30 anos.

OBSTÁCULOS URBANOS E PROJETOS QUE NÃO SAÍRAM DO PAPEL:

Os motivos para que nossas ferrovias estejam andando mais devagar são vários. Dentre eles, está à não execução de obras consideradas fundamentais para superar conflitos com a operação no meio urbano. O Ferroanel de São Paulo, que solucionaria boa parte dos conflitos na Região Metropolitana de São Paulo, é um exemplo. O contorno ferroviário sequer obteve licença ambiental, tão pouco está pronto o projeto executivo de engenharia.

O conflito com a operação da CPTM, que seria solucionado com as obras do Ferroanel, explica muito a queda de velocidade. Para atravessar a capital pelos trilhos da CPTM, cuja prioridade é o transporte de passageiros  durante o dia, as composições de cargas ficam estacionadas nas proximidades de Campinas à espera de “janelas” de horários, o que geralmente ocorre de madrugada.

Sem investimentos para reduzir as interferências nas cidades e no cruzamento com rodovias, não há como permitir o aumento da velocidade quando os trens atravessam aglomerados urbanos. O caso é mais grave ainda nas proximidades de portos importantes, como no Rio de Janeiro e em Santos, onde o número de invasões de moradias cresceu ao longo do tempo.

A Confederação Nacional do Transporte (CNT), em 2015, já havia identificado a existência de 279 passagens de nível críticas (cruzamentos entre ferrovias e rodovias ou avenidas), além de invasões de faixas de domínio (355 era o número), que formaram ajuntamentos de casas às margens das ferrovias. Um caso típico é o da antiga Rede Ferroviária Federal (RFFSA), que nos anos 90, antes da privatização, viu trechos da ferrovia serem compartilhados com moradias precárias. Em trechos com tais conflitos a velocidade das composições precisa ser reduzida para menos de 5 km/h.

Além do Ferroanel, outras obras também não saíram do papel, como é o caso do contorno ferroviário de Divinópolis (MG). Cidade situada no oeste mineiro, os trens atravessam todo o perímetro urbano. A obra, já contratada pelo DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), ainda não possui  licença ambiental, e enfrenta problemas com o Tribunal de Contas da União (TCU).

As informações são do Diário do Transporte


sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Obras alteram circulação dos trens da CPTM neste fim de semana​.

Foto: Rede Noticiando
Neste final de semana, dias 12 e 13 de agosto, a CPTM prosseguirá com o programa de obras em suas linhas. Por isso, os trens circularão com maior intervalo em trechos e horários específicos. Confira a programação e planeje sua viagem:

Linha 7-Rubi (Luz – Francisco Morato)

Domingo: das 4h até meia-noite, serão realizadas obras de modernização nos equipamentos de via permanente entre as estações Franco da Rocha e Baltazar Fidélis. O intervalo médio dos trens será de 15 minutos entre as estações Luz e Caieiras e de 30 minutos entre Caieiras e Francisco Morato. 


Linha 8-Diamante (Júlio Prestes – Itapevi)

Sábado: das 20h até o fim da operação comercial, haverá intervenções nos equipamentos de via permanente entre as estações Carapicuíba e Santa Terezinha. O intervalo médio dos trens será de 20 minutos entre as estações Júlio Prestes e Itapevi. 

Domingo: das 4h à meia-noite, os serviços estarão concentrados no sistema de rede aérea entre as estações Santa Terezinha e Jardim Belval. Das 4h às 19h, também haverá obras de modernização das Estações Jardim Belval e Jardim Silveira. O intervalo médio dos trens será de 20 minutos entre as estações Júlio Prestes e Itapevi. 


Linha 9-Esmeralda (Grajaú – Osasco) 

Sábado: das 20h até o final da operação comercial, haverá intervenções nos equipamentos de via permanente entre as estações Hebraica-Rebouças e Cidade Jardim. O intervalo médio dos trens será de 20 minutos em toda a linha.  

Domingo: das 8h às 22h, os trabalhos serão executados nos equipamentos de via permanente nas proximidades da Estação Santo Amaro. O intervalo médio dos trens será de 15 minutos em toda a linha.  


Linha 10-Turquesa (Brás – Rio Grande da Serra)

Domingo: das 7h às 17h, ocorrerão intervenções nos equipamentos de via permanente nas imediações da Estação Rio Grande da Serra. O intervalo médio dos trens será de 20 minutos entre as estações Mauá e Rio Grande da Serra. 


Extensão Linha 11-Coral (Guaianases-Estudantes)

Sábado: das 20h até o fim da operação comercial, os serviços serão realizados nos equipamentos de via permanente entre as estações Poá e Calmon Viana. O intervalo médio dos trens será de 22 minutos entre as estações Guaianases e Estudantes.


Linha 12-Safira (Brás – Calmon Viana)

Domingo: das 4h à meia-noite, as atividades estarão concentradas nos equipamentos de via permanente entre as estações Engenheiro Goulart e Comendador Ermelino. Também serão realizadas obras de implantação da Linha 13-Jade. O intervalo médio dos trens será de 25 minutos em toda a linha.

Desafio: a CPTM ressalta que executar as obras de modernização, mantendo simultaneamente o atendimento aos usuários, é um grande desafio. As ações exigem medidas como promover intervenções em horários de menor movimentação de passageiros, aos finais de semana, feriados e madrugadas. 

Em caso de dúvidas ou informações complementares, a CPTM coloca à disposição o Serviço de Atendimento ao Usuário: 0800 055 0121.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Em um ano quase mil passageiros caíram no vão entre o trem e a plataforma na CPTM.

No ano passado, 989 pessoas caíram em vãos da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), alta de 13% em comparação com  ano de 2015, segundo dados obtidos pela Agência Mural com a companhia, via Lei de Acesso à Informação.
Foto: Redes Sociais
Em média, os vãos das estações da CPTM tem 18 cm, quase o dobro do recomendado pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), a norma retrata que a medida recomendada é de 10 cm para o embarque de pessoas com mobilidade reduzida.

A agência visitou todas as 91 estações em funcionamento e mediu os espaços entre a plataforma e as composições.

O recorde foi para a estação de Aracaré, na linha 12-Safira com 46 cm.

Segundo o autônomo Roger Menaro, de 26 anos:  "Teve gente que até quebrou a perna aqui".

Resposta

Questionada sobre o número de quedas nos vãos entre o trem e a plataforma nas suas estações, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) afirmou que está realizando intervenções para adequar o nível das bases.

Citou que foram feitas ações nas estações Brás Cubas e Guapituba, para reduzir o desnível entre trem e a plataforma e que outras 34 estações possuem projetos de acessibilidade em contratação, disse também que o fato de trens de carga passarem pelas linhas é um dos problemas.

"A questão deverá ser amenizada com a segregação das vias para o transporte de carga, por meio da implantação do ferroanel, projeto que é do governo federal".

A empresa ressaltou que realiza a prevenção através de avisos sonoros e campanhas para alertar os passageiros sobre os cuidados necessários nas plataformas.

"Em caso de eventual queda, o procedimento é interromper a circulação naquela via, realizar o atendimento imediato do usuário pelas equipes de segurança e estação. Quando necessário, a pessoa é encaminhada para atendimento médico".

Sobre as ocorrências de quedas citadas acima, com relatos dos passageiros envolvidos, a CPTM disse que não foram encontrados registros internos.

A empresa orienta os cidadãos a procurarem um funcionário da estação em casos de acidentes para que sejam tomadas as providências necessárias de imediato.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Conexão CPTM tem horário de atendimento ampliado

A partir desta terça (8/8), o chat funcionará das 5h às 21h nos dias úteis

Foto: CPTM Companhia Paulista de Trens Metropolitanos
O Conexão CPTM completou um mês de operação na última sexta-feira (4/8), totalizando 770 atendimentos on-line.  O novo canal, que é operado pelo Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU), está disponível no site da CPTM​. Com o fim da fase de testes, o chat teve o horário ampliado para atender das 5h às 21h, de segunda a sexta-feira. 

Todas as sugestões foram cadastradas e encaminhadas para avaliação das respectivas áreas. Dentre os inúmeros temas abordados pelos usuários, há muitas solicitações sobre procedimentos da Companhia, situação da circulação dos trens e pedidos de orientação sobre como obter gratuidade para acessar o sistema. O serviço Expresso Turístico, que atende os roteiros para Mogi das Cruzes, Jundiaí e Paranapiacaba, é um dos assuntos mais recorrentes no chat.

O Conexão CPTM é mais um canal de comunicação direto com a empresa, onde o usuário pode obter a informação que deseja com mais agilidade. Para utilizar o chat, basta um celular smartphone, tablet ou computador com acesso à internet para navegar no site da Companhia​. Na página Atendimento ao Usuário há um ícone para o cidadão interagir.

Os demais canais de comunicação também continuam à disposição dos usuários, como as redes sociais (TT @cptm_oficial e FB @cptm.fanpage), o telefone 0800-055-121 (24 horas), o Disk Denúncia pelo celular 97150-4949, além do formulário eletrônico que está disponível na mesma página Atendimento ao Usuário​.

As informações são da CPTM Companhia Paulista de Trens Metropolitanos

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

​​Linhas 7-Rubi e 11-Coral recebem mais dois trens novos.

Nesta sexta-feira (4/8), dois trens novos entraram em operação. A composição da série 9.500, fabricada pela Hyundai Rotem, prestará serviço na Linha 7-Rubi (Luz-Francisco Morato), e o trem da série 8.500, fabricado pela CAF, atenderá o Expresso Leste, na Linha 11-Coral (Luz-Guaianases).​

Foto: CPTM Companhia Paulista de Trens Metropolitanos
A entrega das duas composições foi realizada durante evento com a participação do Governador Geraldo Alckmin, do secretário dos Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, e do presidente da CPTM, Paulo de Magalhães.

Os dois trens integram o lote de 65 unidades adquiridas pela CPTM: 35 encomendados à empresa espanhola CAF e 30 à Hyundai Rotem. Com a entrega dessas duas composições, a Companhia contabiliza 18 trens novos em operação: 13 na Linha 7-Rubi e cinco no Expresso Leste, na Linha 11.

As novas composições fazem parte do processo de padronização da frota de todas as linhas, que está readequando as séries de trens de acordo com a necessidade operacional. O objetivo é prover todas as linhas com composições modernas, equipadas com ar condicionado e tecnologia de ponta. 

A Linha 7-Rubi é a maior da CPTM, com 60,5 km de extensão no trecho entre as estações Luz e Jundiaí. A média é de 425 mil passageiros transportados por dia útil. Já o serviço Expresso Leste, operado na Linha 11-Coral, percorre 24,2 km entre Luz e Guaianases, atendendo cerca de 500 mil usuários por dia útil.

Conforto: fabricados com salão contínuo de passageiros (passagem livre entre os carros), os trens dispõem de monitoramento com câmeras na parte externa e interna. Acessíveis para pessoas com mobilidade reduzida ou deficiência, as composições dispõem de sinalização visual para identificação de assentos preferenciais, mapa dinâmico e áudio, além de espaço para cadeirantes. 

Utilizando tecnologia de última geração, os trens fazem o reconhecimento eletrônico automático do maquinista por meio de biometria. Outro destaque são os monitores digitais internos que oferecem informações e interação das principais notícias sobre a prestação de serviços.

Os demais trens serão entregues ao longo dos próximos meses e entrarão em operação após a realização de testes que são feitos nos sistemas elétricos, mecânicos e de sinalização. Dependendo das necessidades de ajustes que surgirem e do tempo de solução por parte do fabricante, os testes podem ser prolongados. A previsão é que todo o lote seja entregue até o final de 2018.

Obras alteram circulação dos trens neste fim de semana.

Foto: CPTM Noticiando
Neste final de semana, dias 5 e 6 de agosto, a CPTM prosseguirá com o programa de obras em suas linhas. Por isso, os trens circularão com maior intervalo em trechos e horários específicos. Confira a programação e planeje sua viagem:

Linha 7-Rubi (Luz – Francisco Morato)

Sábado e Domingo: das 20h de sábado até a meia-noite de domingo, serão realizadas obras de modernização no sistema de rede aérea nas imediações da Estação Franco da Rocha. 

No domingo, a partir das 8h, as viagens serão ampliadas até a Estação Brás devido aos serviços executados na Linha 11-Coral. O intervalo médio dos trens será de 15 minutos entre Luz/Brás e Caieiras e de 30 minutos entre as estações Caieiras e Francisco Morato. 

Extensão da Linha 7-Rubi (Francisco Morato-Jundiaí)

Domingo: das 4h às 20h, os trabalhos ocorrerão no sistema de rede aérea na região da Estação Botujuru. O intervalo médio dos trens será de 30 minutos entre Francisco Morato e Jundiaí.

Linha 8-Diamante (Júlio Prestes – Itapevi)

Sábado: das 20h até o fim da operação comercial, as intervenções estarão concentradas nos equipamentos de via permanente nas proximidades da Estação Imperatriz Leopoldina. O intervalo médio dos trens será de 20 minutos entre as estações Júlio Prestes e Itapevi. 

Domingo: das 4h à meia-noite, os serviços serão realizados no sistema de rede aérea entre as estações Barueri e Jandira. Das 8h às 20h, as intervenções nos equipamentos de via permanente serão retomadas na região da Estação Imperatriz Leopoldina. O intervalo médio dos trens será realizado da seguinte forma:

Das 8h às 20h: 30 minutos em toda a linha. Das 4h às 8h e das 20h à meia-noite: 10 minutos entre Júlio Prestes e Carapicuíba e 20 minutos de Carapicuíba a Itapevi.   

Linha 9-Esmeralda (Grajaú – Osasco)

Sábado: das 20h até o fim da operação comercial, a circulação ficará interrompida entre as estações Presidente Altino e Osasco para realização de serviços nos equipamentos de via permanente. O usuário que desejar prosseguir viagem deverá utilizar a Linha 8-Diamante.    

Domingo: das 4h à meia-noite, os trabalhos serão executados no sistema de rede aérea entre as estações Jurubatuba e Autódromo. Das 8h às 20h, a circulação permanecerá interrompida entre as estações Presidente Altino e Osasco. O intervalo médio dos trens será de 20 minutos em toda a linha.  

Linha 10-Turquesa (Brás – Rio Grande da Serra)

Domingo: das 8h à meia-noite, o intervalo médio dos trens será de 15 minutos em toda a linha em razão das intervenções nas imediações da Estação Brás. 

Linha 11-Coral – Expresso Leste (Luz – Guaianases)

Domingo: das 8h à meia-noite, a circulação ficará interrompida entre as estações Luz e Brás devido aos serviços nos equipamentos de via permanente e sistema de sinalização executados neste trecho. O usuário que desejar prosseguir viagem deverá utilizar a Linha 7-Rubi que, excepcionalmente, prestará serviço até a Estação Brás nesse período. O intervalo médio dos trens será de 22 minutos entre as estações Brás e Guaianases.     

Extensão Linha 11-Coral (Guaianases-Estudantes)

Domingo: das 8h à meia-noite, por conta das intervenções entre Luz e Brás, o intervalo médio dos trens será de 15 minutos entre as estações Guaianases e Estudantes.

Linha 12-Safira (Brás – Calmon Viana)

Domingo: das 4h à meia-noite, haverá obras de modernização no sistema de rede aérea entre as estações Itaquaquecetuba e Aracaré. Também serão realizadas obras de implantação da Linha 13-Jade no trecho entre Engenheiro Goulart e Comendador Ermelino. O intervalo médio dos trens será de 35 minutos em toda a linha.

Desafio: a CPTM ressalta que executar as obras de modernização, mantendo simultaneamente o atendimento aos usuários, é um grande desafio. As ações exigem medidas como promover intervenções em horários de menor movimentação de passageiros, aos finais de semana, feriados e madrugadas. 

Em caso de dúvidas ou informações complementares, a CPTM coloca à disposição o Serviço de Atendimento ao Usuário: 0800 055 0121. ​

As informações são da CPTM Companhia Paulista de Trens Metropolitanos